Família Montalvao

Família Montalvao

segunda-feira, junho 12, 2017

Nem Freud Explica as aberrações praticadas pelo interino na administração municipal de Jeremoabo


             

 DECRETO Nº 043/2017

 “Dispõe sobre a cessão da servidora Claudiana Silva Lima, matrícula nº 10.553, ao Município de Pedro Alexandre, Estado da Bahia, e dá outras providências.

” O CHEFE DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL DE JEREMOABO, ANTONIO CHAVES, no uso de suas atribuições legais que se são conferidas pela Lei Orgânica Municipal em seu artigo 81, XXIX,

 DECRETA

: Art. 1º Ceder ao município de Pedro Alexandre, Estado da Bahia, a servidora Claudiana Silva Lima, matrícula nº 10.553, integrante do quadro de profissionais do magistério público municipal, nos termos do artigo 69, II da Lei Municipal nº. 419/2011 que “Dispõe sobre a Estruturação do Plano de Carreira e Remuneração dos Servidores do Magistério do Município de Jeremoabo” e Lei Municipal nº 377 de 17 de Março de 2010.

 Art. 2º O ônus da remuneração da servidora ora cedida é do Município cedente, conforme disposto na Cláusula primeira do Convênio nº 009 de 03 de Abril de 2017.

 Art. 3º Esta Portaria entra em vigor com efeito retroativo a partir de 15 de Fevereiro de 2017. 

Art. 4º Revogam-se as disposições em contrário. 

REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE, CUMPRA-SE.
 GABINETE DO PREFEITO, em 23 de Maio de 2017.

 Antonio Chaves. 
Prefeito de Jeremoabo 


 Nota da redação deste Blog - O absurdo, o desmando que irei citar, já ultrapassou dos limites para os vereadores da oposição ingressarem com uma representação perante o Ministério Público, ou mesmo ajuizar logo uma ação.

O caso é grave e não poderá permanecer na impunidade acobertado por vereadores que fazem de conta que não sabem de nada.

O interino admitiu sem concurso público centena de servidores, tanto em cargo comissionado quanto contratado.

Qualquer criança ou mesmo analfabeto é sabedor que quem contrata subtende-se que é para suprir deficiência, sanar a falta de servidor para que a máquina administrativa funcione, no entanto, isso não é o que está acontecendo na Prefeitura de Jeremoabo, o interino está estourando o dinheiro do povo sem precisão, isso é um absurdo, é improbidade administrativo, passivo de processo e perda do mandato.

Sabe porque falo dessa maneira, porque quem precisa não dá nem empresta, e o interino está emprestando servidores da Prefeitura de Jeremoabo, para a Prefeitura de Pedro Alexandre, e o pior, pago com o dinheiro de Jeremoabo.

É o dinheiro do povo de Jeremoabo abastecendo Pedro Alexandre, enquanto  isso, alegam que está faltando dinheiro para tapar os buracos, está faltando fita para medir glicose, está faltando medicamentos para o povo carente, e muitas outras faltas. 

Pobre Jeremoabo, cada um que entra é pior do que o outro.